terça-feira, 4 de janeiro de 2011

1102

Entrámos a era do Senhor de 1102.

O Conde D. Henrique tem procurado trazer prosperidade a este pequeno território, tendo vencido os mouros em Arouca, permitindo que se salvem mais almas. 

Neste entremeio, o escriba Diego Gelmírez, nomeado por Vossa Senhoria, organizou o roubo de que todos falam. A cidade de Braga está num alvoroço à procura dessa alma danada das Santas Relíquias ali depositadas. Os Arcebispos ofereceram encomendas às almas para aqueles que tivessem informação sobre o seu paradeiro.


Como vê, meu caro amigo, nada de novo por estas terras para onde me exilou. Longe da nossa cosmopolita e próspera cidade. Neste território apenas vemos pobreza e as notícias são de roubos, de guerras, de conquistas. Os povos são rudes, brutos e quase analfabetos.  De cultura pouco entendem, ainda que faça tudo o que posso para levá-los a prosperar no caminho da iluminação. Quanto ao trabalho, folgam em demasia, querendo intervalos da lavoura a toda a hora. 

Tem sido muito difícil a vida nestas terras. Por mais conselhos que os Senhores nos peçam, acabam sempre por originar mais miséria.Gostam de exibir mais do que têm, ficando a dever aos onzeneiros. Esses sim, vivem bem e não se esquecem das dívidas, cobrando favores a toda a hora.

Os compadrios são também excessivos, nomeando-se para altos cargos da administração do condado aqueles que pouco sabem.

Mas por outro lado, é um povo que sabe ser alegre. Que gosta de ajudar os outros, de ser solidário. Que encontra modos para (sobre)viver, desenrascando-se de várias maneiras. 

(C) Joaquim Guerra




NOTA: Todo o conteúdo deste blog é baseado em factos reais sendo que se torna muito difícil distinguir a ficção da realidade. Todas as imagens neste blog são descaradamente roubadas aos seus legítimos proprietários, desculpem lá qualquer coisinha!

2 comentários:

  1. lolololol muito fixe!
    (e desta vez li tudo sem ficar tonto!)

    ResponderEliminar
  2. Mas por outro lado, é um povo que sabe ser alegre

    nota-se......

    ResponderEliminar

A opinião veiculada nos comentários é a dos seus autores e não do Tertúlia Cor-de-Burro-a-Fugir.
Será responsabilizado o autor de qualquer comentário susceptível de lezar o bom nome, a honra ou a imagem de pessoas ou instituições, bem como o autor de qualquer comentário injurioso, ofensivo ou contrário às leis portuguesas... (Por outras palavras, vamos ter o direito de vos chamar nomes também!)
Qualquer comentário pode, a qualquer momento, ser rejeitado ou retirado pelo Tertúlia Cor-de-Burro-a-Fugir, sem necessidade de justificação... E mais nada!